Clínica Satto

 

 

O que fazer para lidar com os comportamentos de birra do meu filho

Ahhhh! Não sei mais o que fazer para lidar com os comportamentos de birra do meu filho...
Lidar com aqueles “pequenos anjinhos” que às vezes

deixam os adultos de cabelos em pé nem sempre é tarefa fácil, e quando o estresse assa a fazer parte da rotina da família pela dificuldade em estabelecer limites e regras, muitas vezes é o momento de procurar ajuda de um especialista para juntos pensar em novas possibilidades.

Cada vez mais chegam aos consultórios de psicólogos, pais aflitos, que não sabem mais o que fazer para lidar com o comportamento de seus filhos, e com um nível de estresse (diga-se que de ambos os lados), que interfere em vários aspectos da vida do sujeito.
Se você se identifica com esse contexto, considero importante algumas reflexões, que podem ajudar na definição de estratégias para lidar com seu “pequeno anjinho”.
- Você aponta o bom comportamento do seu filho, ou só verbaliza aquilo que ele está fazendo de errado? Muitas vezes os adultos apontam para a criança aquilo que eles não querem que ela faça (ex. não mexa aí, não pode bater), porém se esquecem de dizer o que esperam que ela faça. Às vezes parece óbvio o que a criança tem que fazer, mas nem sempre é, e por isso o adulto precisa ser muito claro e objetivo nas orientações.
- Quais são os exemplos de comportamento que a criança tem dentro de casa? Criança aprende a se comportar através de modelos. Por isso não adianta você dizer gritando para o seu filho que ele deve falar baixo, ou que ele não pode bater no irmão quando ele estiver bravo, se assim você o fizer. Muitas vezes educar um filho necessariamente implica em mudança de atitude dos pais. Mantenha os comportamentos que você quer que ele aprenda e reveja os comportamentos que você não quer que ele imite.
- Você tem castigado mais do que premiado? Se sua resposta for sim, esse é um sinal de que as estratégias que você está usando não estão sendo eficientes e que tem dado atenção mais aos aspectos negativos do que aos positivos do seu filho! A criança aprende de maneira mais rápida e consistente através da premiação do que do castigo. Vale ressaltar que premiação não se refere a presentes e coisas materiais, mas também a elogios, e demonstração de satisfação. Quanto mais você valorizar o que ela tem feito de positivo, mais você irá fortalecer a possibilidade dela manter o bom comportamento.
Mas cuidado, não saia por aí valorizando tuuuudo que a criança faz. Critérios são necessários, e é importante manter equilíbrio na dose e premiar e elogiar de acordo com a dimensão do ato e o merecimento da criança, sendo verdadeiros e objetivos.
Espero, com essas reflexões, ter contribuído para algumas mudanças de condutas e para um ambiente familiar mais alegre e saudável!

Ana Carolina Donadon Rios
Psicóloga Clínica - Especializanda em Neuropsicologia
CRP 06/95048

Clínica Satto

Endereço - Clínica Satto

© 2020 Todos direitos reservados. - Clínica Satto - Odontologia, Psicologia e Arteterapia.

By DNT Online